Workshops, Aulas, Actuações

Category: Workshops, Aulas, Actuações
Published on Monday, 21 July 2014 17:35
Written by Tania

Dança Oriental Turca, Oryantal

Dança Oriental: uma das pioneiras da Dança Oriental em Portugal, Tânia Luiz aprendeu esta arte numa das suas fontes principais, a Turquia, onde também viveu e ensinou esta dança. A dança oriental é uma grandiosa celebração do feminino, uma dança talhada para o corpo da mulher como nenhuma outra. Aceitação, celebração, catarse e transcendência são etapas comuns e reconhecíveis no trajecto de quem decide seguir esta arte.

Tecnicamente falando, esta dança é construída em redor do domínio de diversos isolamentos musculares, especialmente na zona abdominal, ancas, caixa torácica, ombros e pescoço. Os braços têm também uma parte preponderante e embelezadora, cabendo às ancas um trabalho veloz e virtuoso. O corpo como um tudo desenha ondulações, realiza 2, 3 e por vezes 4 movimentos distintos em simultâneo, gira, e desloca-se pelo espaço com uma série de passos para esse efeito.

 

Dança Cigana Turca, Roman

A diáspora dos ciganos da Índia chegou ao que agora chamamos a Anatólia na Turquia em meados do séc. XII. Desde então, e como no caso de tantos outros países, deu-se uma explosão de novos ritmos e danças. O Roman (como os Roma/Ciganos chamam a sua dança na Turquia), é uma dança fogosa e terra-à-terra, trágica e cómica, que incorpora movimentos dos trabalhos diários da sua gente, com muito pouco de elegante, mas com tanta dignidade e virtuosismo. Utiliza um ritmo assimétrico conhecido como 9/8, e contado bir-(i) ki bir-(i) ki bir-(i) ki bir-(i) ki üç 1,2 1,2 1,2 1,2,3

 

 

Trabalho de chão da Dança Oriental Turca

Trabalho de chão a partir do minuto 3:19

Workshop exigente fisicamente, onde se explora o lado mais acrobático da Dança Oriental Turca.
O trabalho de chão é extremamente belo e fluido, misterioso, dotado de grande sinuosidade e sensualidade, delicado e feminino.
É conveniente trazer joelheiras. 
Trabalha-se o "backbend" de joelhos, ondulações combinadas com " backbend", shimies e oitos de quadris em prancha lateral, braços, espargatas laterais, e quedas.

 

 

Zils, címbalos para os dedos ou Sagats em Árabe

 

                                                                                       


Parte integral da Dança Oriental Turca, embora com tendência a desaparecer, tendo como grandes exemplos de virtuosismo a extraordinária Tülay Karaca ( grande estrela na Turquia nos anos 70 e 80), e a também extraordinária Artemis Mourat (Americana e ainda activa).
Este workshop consiste numa técnica desenvolvida por Tânia Luiz, que trabalha essencialmente a coordenação motora, que permitirá mais tarde uma total liberdade para tocar e dançar ao mesmo tempo.
Para a execução perfeita desta técnica, recomenda-se que os zils tenham um só orifício, para serem mais soltos.

 

Esferas Sagradas da Dança, Ritual de Dança Sagrada

O que é dançar? O que é meditar? E se retirássemos a separação entre estas duas artes? Num crescendo energético, esta aula leva-nos numa viagem da meditação sentada à activa, do dançar com forma e estrutura à deconstrução do movimento, o reaprender a caminhar, o regresso ao movimento primordial dum bébé, e o giro Sufi com a sua transcendência corporal e fusão com Deus, com a essência, que nos segura por um fio, enquanto giramos como astros.

 

 

Bollywood

E se 300 pessoas descerem uma colina a cantar e a dançar em perfeita sincronia, vestidos com saris e shalwar kameez, isso é..... Bollywood! Esta dança dos musicais indianos é uma explosão de alegria e ritmo, uma fusão de dança clássica indiana, hip hop, dança oriental e outras. Coreografada, rápida, e muito muito divertida, para homens e mulheres que gostam de rir enquanto dançam!